O NOVO QUERIDINHO

Todo mundo sabe que o bumbum é a paixão nacional. Mas, convenhamos, ter seios firmes e empinados também é o sonho de boa parte das brasileiras. Não à toa, o implante de prótese mamária, mais conhecido como silicone, lidera o ranking de cirurgias plásticas realizadas no país, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Apesar da grande procura, a maior parte dos pacientes tem dúvidas sobre como funciona o procedimento. “A diversidade de modelos e medidas torna o preparo dessa cirurgia um tanto confuso, e é preciso esclarecer todas as questões antes de optar pelo procedimento”, explica o médico Guilherme Ribeiro, sócio da clínica Cló e Ribeiro Cirurgia Plástica. Confira a seguir.

1. As próteses de silicone são todas iguais? Não. Elas podem ser de diferentes marcas e nacionalidades, variando de acordo com o tipo de revestimento e formato.

2.Quais são os formatos possíveis? Há basicamente as próteses redondas e as anatômicas, naturais, em formato de pera ou gota. As redondas conferem um colo mais arredondado e uma mama mais simétrica em medidas. Já a anatômica é destinada a pessoas que buscam um colo mais alto e de caimento mais natural. A largura do implante varia de acordo com a necessidade.

1. As próteses de silicone são todas iguais? Não. Elas podem ser de diferentes marcas e nacionalidades, variando de acordo com o tipo de revestimento e formato.

3. E os revestimentos?São três tipos. As próteses lisas, usadas sempre por baixo do músculo e com índices mais altos de contratura; as texturizadas, que podem ser usadas por cima ou por baixo do músculo, com índices de contratura bem menores que os das lisas; e as de espuma de poliuretano, geralmente usadas por cima do músculo e com os mais baixos índices de contratura.

4. Quais as medidas da prótese?Elas podem ser definidas didaticamente em largura, altura e projeção. A largura e a altura se referem às medidas da base do implante, no plano horizontal. Já a projeção é a medida que se estende da base do implante ao topo. A projeção pode variar de baixa, média, alta e superalta. As escolhas do formato e das medidas da prótese vão variar de acordo com o caso, o exame físico, as características individuais, a rotina do cirurgião e as expectativas e desejos da paciente.

5. E qual a diferença entre a prótese por baixo e a por cima do músculo?Quando colocadas por baixo do músculo, as próteses conferem mais naturalidade e menor tendência à queda do implante. Mas é também o plano de colocação que apresenta mais dor no pós-operatório. Por outro lado, é possível inserir implantes por cima do músculo com formatos mais naturais e com adesividade aos tecidos, dificultando sua queda, o que favorece o uso desse plano com as próteses atuais. O plano subfascial é um misto dos dois, pois a prótese fi ca entre o músculo e a fáscia, a camada que recobre o músculo, separando-o da glândula. A escolha do melhor plano deve ser feita em conjunto com o cirurgião.

GUILHERME RIBEIRO

Formado em medicina pela UFMG em 2000, com residência médica em cirurgia geral na Santa Casa de Misericórdia de BH, de 2001 a 2002, residência médica em cirurgia plástica no Hospital das Clínicas da UFMG, de 2003 a 2005, título de especialista em cirurgia plástica pela SBCP, coordenador do núcleo de cirurgia plástica corporal da equipe Cló & Ribeiro

QUER EMAGRECER? TRÊS TRATAMENTOS QUE PODEM AJUDÁ-LO A ALCANÇAR SEU OBJETIVO

Balão intragástrico: indicado para pacientes com excesso de peso e índice de massa corporal (IMC) acima de 27 kg/m², é um procedimento endoscópico sem cortes nem internação, de rápida execução e com sedação convencional. O paciente é sedado e, via endoscopia, é introduzido um balão de silicone em seu estômago, que, em poucos minutos, é preenchido com soro fisiológico e corante azul. Ao ocupar boa parte da região, ele gera uma saciedade precoce, auxiliando o emagrecimento mais rápido e seguro.

Gastroplastia endoscópica: a redução do estômago por endoscopia é indicada para pacientes com índice de massa corporal (IMC) a partir de 30 kg/m² e com idade mínima de 18 anos. Esse procedimento também é menos invasivo que a cirurgia bariátrica, sem a necessidade de cortes. O objetivo é reduzir o tamanho do estômago, promovendo saciedade precoce. Estudos científicos internacionais mais recentes têm demonstrado uma perda de peso média de 20% a 25% do peso inicial, no período de um ano.

Gastroplastia endoscópica: a redução do estômago por endoscopia é indicada para pacientes com índice de massa corporal (IMC) a partir de 30 kg/m² e com idade mínima de 18 anos. Esse procedimento também é menos invasivo que a cirurgia bariátrica, sem a necessidade de cortes. O objetivo é reduzir o tamanho do estômago, promovendo saciedade precoce. Estudos científicos internacionais mais recentes têm demonstrado uma perda de peso média de 20% a 25% do peso inicial, no período de um ano.

Plasma de argônio: para os pacientes que já fizeram a cirurgia bariátrica e voltaram a ganhar peso, plasma de argônio é uma boa alternativa. É um procedimento endoscópico no qual se aplica uma espécie de laser na anastomose — a saída do estômago para o intestino. Após as intervenções, ocorre uma redução desse diâmetro, o que melhora a sensação de saciedade e reduz, portanto, a quantidade de alimentos sólidos ingeridos.

É importante ressaltar que nenhuma técnica sozinha faz milagre e que o resultado depende de o paciente seguir corretamente o tratamento nutricional proposto, além de associá-lo a exercícios físicos para potencializar a perda de peso.


“O RESULTADO DEPENDE DE O PACIENTE SEGUIR CORRETAMENTE O TRATAMENTO NUTRICIONAL PROPOSTO”


BRUNO SANDER é cirurgião endoscopista e diretor clínico do hospital Dia Sander Medical Center

HARMONIA DA FACE

Implantes de polietileno melhoram as proporções das estruturas com tecnologia 3D

O formato e a estética da face são determinados pelas estruturas duras, pelos ossos, pela pele e por outras partes moles. Queixos pequenos, contorno e corpo da mandíbula pouco destacados, além de linhas faciais mal definidas, vêm levando atualmente um sem-número de pessoas comuns e celebridades aos consultórios e clínicas. “O equilíbrio e a simetria constroem uma imagem mais atraente, além de trabalhar a autoestima e a satisfação pessoal”, explica o cirurgião dentista Frederico Araújo.

São muitos os recursos existentes para alcançar os resultados desejados, como o preenchimento com ácido hialurônico e as cirurgias ortognáticas. O implante facial de polietileno, no entanto, ganhou destaque. “É um procedimento de menor complexidade, se comparado às temidas cirurgias ortognáticas, e possui um tempo de recuperação muito mais rápido, menor risco e valores atrativos”, garante Araújo.

Em relação aos preenchimentos, a principal vantagem dos implantes faciais é o fato de serem definitivos e não reabsorvidos em poucos meses ou anos. “É imprescindível a busca por um profissional capacitado e a utilização de produtos confiáveis”, alerta o médico. O especialista deve seguir uma sequência obrigatória que envolve a avaliação inicial detalhada, valorizando a história e a expectativa do paciente, a medição da face com fotografias e scanner facial. Vale lembrar que o tamanho e as especificidades de cada implante devem ser avaliados com critério, respeitando os limites técnicos do procedimento.

A cirurgia, normalmente, é realizada em consultórios devidamente preparados, com anestesia local ou sedação consciente. Costuma durar de quarenta e cinco a noventa minutos e no mesmo dia o paciente retorna à sua residência. A recuperação, por sua vez, é suave, com pouco edema e leve desconforto. Os materiais utilizados são biocompatíveis e, com a cicatrização, integram-se ao corpo. “Os implantes faciais são mais bem indicados para as pessoas que já atingiram todo o desenvolvimento do rosto e possuem um bom estado de saúde”, conclui Frederico Araújo. Confira, ao lado, os três tipos usados.

PARA A REGIÃO MENTUAL (QUEIXO): Podem aumentar o tamanho do queixo, além de melhorar sua projeção, alinhando o terço inferior da face com os dois terços superiores. São indicados principalmente para aquelas pessoas com pouca definição entre o pescoço e a boca, aparentando um prolongamento dessas regiões.

PARA A REGIÃO DA MANDÍBULA (ÂNGULO E CORPO): Melhoram a largura do rosto, ressaltam os ângulos desse osso e proporcionam resultados marcantes. Muitos homens buscam esse recurso, uma vez que ângulos bem trabalhados proporcionam uma expressão de maior masculinidade.

PARA A BOCHECHAE OUTRAS REGIÕES DA FACE: Basicamente, toda a face pode ser esculpida com os implantes de polietileno. A região zigomática – ou maça do rosto – pode ter uma melhora de volume, a fim de conferir um aspecto de longevidade. Outros locais comumente trabalhos são as orelhas e o nariz.

DICAS IMPORTANTES: Para alcançar um melhor resultado, outras condutas devem ser associadas, a exemplo da correção do alinhamento dos dentes. O uso da ortodontia com autoligáveis pode ser uma ótima opção. A harmonização da face com a estética dental é fundamental. Pode-se obter uma excelente performance com as lentes de contato. A pele e as rugas de expressão também podem ser trabalhadas, de acordo com cada necessidade. Procure se inteirar dos recursos disponíveis.

FREDERICO ARAÚJO: é cirurgião Dentista graduado, fisioterapeuta graduado, médico graduando em cirurgias estéticas e corretivas maxilofaciais e harmonização facial avançada. É especialista em implantodontia e membro da Sociedade Brasileira de Anatomia, diretor executivo do Grupo A&C, perito judicial, presidente da Associação Mineira de Clínicas e Profissionais de Saúde e diretor clínico do Hospital Odontológico BH