Sem categoria

Biomedicina: saiba mais sobre o profissão que tem ganhado cada vez profissionais

A Biomedicina surgiu no Brasil em 1966 e, desde sua origem, a área passou por diversas modificações, ampliando as suas habilitações e qualificando seus profissionais de modo a possibilitar diversas opções para escolha da atuação no mercado, como a biomedicina estética, análises clínicas; banco de sangue; biologia molecular; citologia oncótica; imagenologia; reprodução humana e microbiologia dos alimentos. Esse mês foi comemorado o dia do Biomédico, então, reunimos informações sobre algumas dessas áreas da biomedicina com profissionais que atuam no mercado em segmentos diferentes para mostrar um pouco mais sobre a profissão que tem ganhado tanto espaço. 

O biomédico Yuri Hyalaurent, que atua como supervisor de unidades hospitalares pelo laboratório São Paulo, conta que a biomedicina surgiu mais voltada para a área da docência e pesquisa e que foram as descobertas e avanços científicos que possibilitaram que ela ganhasse novas especialidades. “Atualmente temos mais de 30 especialidades, sendo a Patologia Clínica, mais conhecida como análises clínicas, uma das mais antigas, podendo ser considerada o princípio da cadeia da Biomedicina e da carreira de um Biomédico”, diz ele. Apesar de se dizer fascinado pelas profissões do segmento biológico, foi na biomedicina que ele se encontrou profissionalmente. “A biomedicina ganhou meus olhares e desejos de carreira por ter em seus pilares ideais com os quais me identifico e acredito. Durante a graduação, me especializei em Patologia Clínica e hoje posso aplicar meu conhecimento desenvolvendo métricas operacionais mais seguras e ágeis em toda a abrangência das ações em unidades hospitalares”, conta.

 

A condução de estudos e pesquisas em interface com Medicina, Biologia e Farmácia-Bioquímica é a mais antiga forma de atuação na área, já consolidada há mais de cinquenta anos no Brasil, no interior de laboratórios de diagnóstico a partir de exames diversos, em laboratórios de pesquisa, ou mesmo dentro de hospitais, indústria cosmética e de alimentos, por exemplo. 

 

Microbiologia hospitalar

 

A biomédica Thassia Mariane Teodoro é microbiologista líder na matriz do Ramos Medicina Diagnóstica, no Centro Médico de Campinas, possui  habilitação em Microbiologia, Patologia Clínica e Toxicologia, e conta que atua com microbiologia hospitalar desde sua formação. “O Laboratório Ramos Medicina Diagnóstica atende dois hospitais em Campinas, além de vários outros postos de coleta, então, é uma rotina bem intensa. Trabalhamos com métodos manuais, automatizados, biologia molecular, com uma equipe especializada para fazer os diagnósticos da melhor forma”, diz ela. O dia a dia da profissão envolve a investigação de amostras clínicas de diversos tipos, buscando identificar agentes causadores de infecções. “A partir dessa análise, auxiliamos os médicos na tomada de decisão, apontando qual o microorganismo causador de uma determinada infecção e quais medicamentos podem ser utilizados ou não para cada tratamento; na maior parte das vezes, antibióticos, já que a maioria das análises que fazemos envolvem infecção por bactérias”, explica ela. 

 

Para atuar na área, é preciso ter alguma formação em ciências biológicas – biomedicina, farmácia ou biologia. “No caso do biomédico que atua com microbiologia, é necessário ter uma habilitação, só podemos trabalhar com habilitação em microbiologia ou patologia clínica”, diz Thassia. Para quem deseja atuar no mercado, uma boa notícia – faltam profissionais capacitados. “Falta pessoal porque a maioria vai para outras áreas. A microbiologia é um segmento de alta complexidade, precisamos ter um pouco mais de experiência porque muitas vezes estamos diante de microorganismos mais complicados, com bactérias com multirresistência, então, precisamos ficar muito atentos às atualizações, exige estudo constante e atenção aos protocolos, artigos científicos, ter curiosidade de buscar conhecimento”, explica ela. 

 

Biomedicina estética

Um dos segmentos que mais tem crescido é o da biomedicina estética. O biomédico, professor e fisioterapeuta dermatofuncional Thiago Martins atua na área e conta que trata-se de uma das atuações mais recentemente reconhecidas dentro da biomedicina. “Até 2010, praticamente não havia atuação do profissional da biomedicina na área da estética. Com o passar dos anos, as possibilidades no mercado se ampliaram, assim como a grade curricular e a diversidade de especializações. Agora, o profissional da Biomedicina pode, não só atuar investigando doenças em busca de soluções, mas também ganha cada vez mais espaços para fazer jus ao seu conhecimento além do trabalho em laboratórios de análise ou a área clínica com a especialização em Biomedicina Estética”, afirma ele. 

 

A história da biomedicina na estética começou em 2006, a partir da articulação política de uma biomédica do interior de São Paulo junto ao Presidente do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), Dr. Silvio Cecchi. Em Outubro de 2010, a Estética foi aceita como área de atuação legítima do Biomédico em plenária com todos os membros do CFBM e biomédicos. “O profissional da área é chamado Biomédico Esteta, e precisa ter bacharelado e experiência nos procedimentos estabelecidos pela resolução CFBM 200/2011. Essas exigências dizem respeito a estágios e pós-graduação na área de estética, realizados em instituições reconhecidas pelo MEC”, conta Thiago Martins. A resolução nº 241/2014 do CFBM reconhece a habilitação do biomédico esteta para realizar procedimentos como a aplicação da toxina botulínica, preenchedores e outros injetáveis, além de estabelecer a autonomia para procedimentos que envolvam a utilização de lasers e outros recursos tecnológicos utilizados para fins estéticos. 

 

O segmento da biomedicina estética é interessante para aqueles que desejam empreender. Thiago possui marca própria, a TM®, com uma clínica no bairro Buritis onde realiza seus atendimentos e procedimentos, linha de produtos de tratamento faciais e corporais em parceria com uma farmácia de manipulação e conta que vai lançar, em breve, uma linha de produtos faciais para home care.

 

Compartilhe:

Revista Saúde e Estilo

Revista Saúde e EstiloA SAÚDE&ESTILO entra em cena para levar conhecimento e informação ao seu leitor, agregando cuidados com a mente e com o corpo e estimulando a busca por uma vida de hábitos saudáveis. Mantendo, é claro, sua visão responsável sobre longevidade.

Outras postagens de: Revista Saúde e Estilo