Gestão e Negócios

INTELIGÊNCIA SEE ACTION

 

“Uma tendência conservadora no sentido de preservar estruturas e tecidos dos pacientes está se tornando condição de escolha primordial.”

O conceito contemporâneo na área de saúde vem caminhando para procedimentos e técnicas minimamente invasivos. Seja na medicina seja na odontologia, uma tendência conservadora no sentido de preservar estruturas e tecidos dos pacientes está se tornando condição de escolha primordial. Artroscopia, laparoscopia, implante sem cortes, por exemplo, otimizam tratamentos diminuindo a morbidade pós-operatória e gerando menos riscos de infecção e intercorrências.

Assim também evoluiu a medicina estética, com procedimentos sem incisões ou cortes maiores e pontos, que não alteram a rotina dos pacientes.

É bom lembrar que não existem milagres na harmonização facial, mas, sim, muito bom senso. Menos é sempre mais e cada caso é avaliado individualmente. Dentro desse conceito, preconizamos a S.S.E. ACTION — Ações de Segurança, Eficiência e Estabilidade para, em conformidade com os protocolos liberados pelo Ministério da Saúde, realizar o tão esperado efeito lifting.

Toxina botulínica, preenchimentos com materiais reabsorvíveis, fios de tração e dermosustentação, ultrassom microfocado e bioestimuladores dermais. Com esses procedimentos, conseguimos fazer o que 95% dos pacientes esperam: a reposição anatômica. Ou seja, o que querem é obter o que já tiveram em um passado recente. Costumo dizer que não conseguimos voltar o relógio. Porém, com uma boa gestão, podemos paralisá-lo por algum tempo.

DR. ROBERTO PACHECO.

É professor de harmonização facial no Brasil e nos EUA, palestrante em congressos nacionais e internacionais, professor de toxina botulínica e preenchimentos faciais básicos e avançados e tem formação internacional em fios de sustentação

Rua Oscar Niemeyer, 1033, SL. 833/834. TEL.: ( 31) 3643-6168 / 98314-0202.

Compartilhe:

Luciana Dadalto

Luciana DadaltoÉ sócia da Luciana Dadalto Sociedade de Advogados, doutora em ciências da saúde pela Faculdade de Medicina da UFMG e mestre em direito privado pela PUC Minas.

Outras postagens de: Luciana Dadalto