COLUNISTAS

O DRAMA DA AUTOMUTILAÇÃO

Cicatrizes, cortes, queimaduras… Por que crianças e adolescentes se agridem intencionalmente?

Autolesão, ou lesão autoprovocada intencionalmente, é qualquer lesão intencional e direta dos tecidos do corpo provocada pela própria pessoa, sem que haja intenção de cometer suicídio. A forma mais comum é a utilização de um objeto afiado para cortar a pele. O termo, no entanto, descreve uma ampla diversidade de comportamentos, incluindo queimaduras, arranhões, agravamento de lesões existentes ou ingestão de objetos.

Quem pratica repetidamente não têm a intenção de chamar a atenção. O propósito é controlar as emoções. A autolesão é uma expressão de grande mal-estar interno, como forma de aliviar fisicamente a dor que é psicológica e emocional. Grande parte dos casos acontece na adolescência. “Quando me corto, acaba a ansiedade e o drama, então relaxo.” Essa é a frase mais repetida por jovens entre 12 e 18 anos que praticam o cutting. Um dos sinais peculiares é o uso de roupas compridas, mesmo em dias de calor, para esconder as marcas. É importante, também, ficar atento às mudanças bruscas de humor, hábitos ou horários.

A abordagem implica saber, em primeiro lugar, o que há por trás dessa conduta. Podem existir, por exemplo, outros transtornos encobertos, como distúrbios alimentares, depressão, transtorno obsessivo-compulsivo e transtorno de ansiedade. A terapia cognitivo-comportamental é altamente eficaz nesses casos, reduzindo tanto as automutilações quanto as cognições suicidas e os sintomas de depressão e ansiedade. As terapias familiares, as dinâmicas em grupo, as terapias baseadas na consciência plena ou mesmo a terapia comportamental dialética, para aprender a tolerar a angústia, a frustração, controlar as emoções e melhorar os relacionamentos com os outros, também costumam ser muito positivas. É fundamental, contudo, que os adultos aprendam a conhecer seus filhos e ajudem a procurar saídas mais úteis, sensíveis e razoáveis à dor da vida.

Jaqueline Bifano é psiquiatra com residências em psiquiatria (HPJ/UFF), psiquiatra da infância e adolescência (HC/UFMG) e psicoterapeuta (Ipub/UFRJ). Ela atende na Av. do Contorno, 3975, sl. 404, Sta Efigênia. Tel.: (31) 3223-8053 / (31) 98856-3418. Instagram: @drajaquelinebifano

Compartilhe:

Jaqueline Bifano

Jaqueline BifanoÉ psiquiatra com residências em psiquiatria (HPJ/UFF), psiquiatra da infância e adolescência (HC/UFMG) e psicoterapeuta (Ipub/UFRJ) CRM-MG 50015 / RQE 39035

Outras postagens de: Jaqueline Bifano