COLUNISTAS

PRECISAMOS FALAR DE TOD

Sabe aquela criança extremamente teimosa, opositiva, desafiadora, que discute por qualquer coisa, é agressiva quando contrariada, tem tendências vingativas e é avessa a qualquer frustração? Que não assume seus erros ou responsabilidades por falhas, costuma sempre se indispor com os demais de seu grupo e apresenta intensa dificuldade em conviver socialmente com sua família e figuras de autoridade? Provavelmente ela tem Transtorno Oposivo-Desafiador (TOD).
O TOD é considerado um dos transtornos mais comuns da infância e adolescência e é observado nas interações sociais da criança com adultos e figuras de autoridades em geral, com pais, tios, avós e professores. Os sintomas mais frequentes são perda da paciência, discussões constantes, desafio e recusa a obedecer. Crianças com TOD, muitas vezes, são discriminadas, perdem oportunidade e desfazem círculos de amizades. Não raro, sofrem bullying e são retiradas de eventos sociais e de programações da escola. O desempenho escolar também pode ser afetado.
O desenvolvimento do transtorno pode ser consequência de uma combinação entre predisposição neurobiológica e, principalmente, fatores de risco psicológico e do ambiente social. Especialmente no ambiente familiar, como o relacionamento negativo com os pais, que podem se ausentes, agressivos ou negligentes, disciplina inconsistente, criação permissiva, abusos verbais, físicos ou sexuais.
O tratamento é multidisciplinar, com acompanhamento de um psiquiatra especialista em infância e adolescência, de um psicólogo e um psicopedagogo. Depende da medicação, psicoterapia comportamental e suporte escolar. A medicação melhora a autorregulação de humor, a psicoterapia foca em como lidar com as frustrações e nas medidas de manejo educacional e, na escola, deve-se oferecer apoio, reforço e abertura para um bom diálogo.
Quando não tratado, o TOD em crianças e adolescentes pode evoluir para um transtorno de conduta ou personalidade antissocial na vida adulta. Além disso, há risco aumentado de desenvolver transtorno de ansiedade, envolvimento com drogas e delinquência.

Compartilhe:

Revista Saúde e Estilo

Revista Saúde e EstiloA SAÚDE&ESTILO entra em cena para levar conhecimento e informação ao seu leitor, agregando cuidados com a mente e com o corpo e estimulando a busca por uma vida de hábitos saudáveis. Mantendo, é claro, sua visão responsável sobre longevidade.

Outras postagens de: Revista Saúde e Estilo