Gravidez

Quando procurar ajuda médica para engravidar?

Conheça os fatores que podem contribuir para a infertilidade

I nfertilidade, por definição, é a incapacidade de engravidar através de relações sexuais frequentes e sem proteção após o período de um ano. Cerca de 10% a 15% dos casais se enquadram nessa condição e possuem indicação para procurar auxílio médico.

Mulheres com 35 anos ou mais devem encurtar esse tempo de espera para seis meses, pois, a partir dessa idade, a prevalência de problemas que levam à infertilidade é maior. Há declínio natural da fertilidade devido ao envelhecimento dos óvulos e, além disso, mulheres nessa faixa etária tendem a apresentar pior resposta aos medicamentos utilizados para estimular o desenvolvimento dos folículos ovarianos

Dor no período menstrual é um sintoma que deve sempre ser valorizado, pois pode estar associado à presença de patologias que interferem na fertilidade, tais como endometriose, miomas e pólipos. A presença dessas patologias é ainda mais frequente naquelas pacientes que não apresentavam dor no período menstrual e que passam a relatar, ou que apresentam piora progressiva da dor. Cabe ao médico investigar se a dor está associada à presença de alguma patologia e orientar o tratamento mais adequado.

Mulheres com histórico de doenças sexualmente transmissíveis e/ou doença inflamatória pélvica apresentam maior incidência de infertilidade, devido ao risco de danos às tubas uterinas causados pelos agentes infeciosos. Nesses casos, a investigação do fator tubário deve ser realizada independentemente do tempo de infertilidade. Algumas situações podem aumentar os riscos de aborto e complicações na gravidez, tais como diabetes, obesidade, má alimentação, sedentarismo e uso de substâncias tóxicas (cigarro, álcool, drogas, medicamentos, cosméticos etc.). O médico deve controlar ao máximo esses fatores antes de realizar qualquer tipo de tratamento de infertilidade

No homem, sinais relacionados à deficiência no desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários (pelos corporais, engrossamento da voz, aumento do volume testicular) ou relato de distúrbios de ereção e/ou ejaculação, podem estar associados a alterações hormonais, que podem comprometer a espermatogênese (produção dos espermatozoides), causando dificuldade para a obtenção de gravidez. Histórico de infecções genitais, problemas testiculares ou varicocele também são fatores de risco para infertilidade masculina. Nesses casos, o homem deverá consultar um urologista para diagnóstico e tratamento adequados.

Dr. LEONARDO MEYER (CRM-MG 26.651)

Médico formado pela UFMG, com residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital Mater Dei, especialista em ginecologia e obstetrícia TEGO pela FEBRASGO. Mestrado na área de reprodução humana pela USP – embriologista com especialização em técnicas de reprodução assistida, título de capacitação em reprodução assistida pela SBRA (Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida)

Compartilhe:

Revista Saúde e Estilo

Revista Saúde e EstiloA SAÚDE&ESTILO entra em cena para levar conhecimento e informação ao seu leitor, agregando cuidados com a mente e com o corpo e estimulando a busca por uma vida de hábitos saudáveis. Mantendo, é claro, sua visão responsável sobre longevidade.

Outras postagens de: Revista Saúde e Estilo